NR33 – Trabalho em ESPAÇOS CONFINADOS!

Confira neste post tudo o que você precisa saber sobre segurança de trabalhos em espaços confinados!

Objetivo da NR-33

Assim como é definido – item 33.1.1 – a norma regulamentadora 33 tem como objetivo estabelecer os requisitos mínimos para identificação de espaços confinados e o reconhecimento, avaliação,  monitoramento e controle de riscos existentes, de forma a garantir permanentemente a segurança e a saúde dos trabalhadores que interagem direta ou indiretamente nestes espaços confinados.

O que são espaços confinados?

Entende-se como espaço confinado – item 33.1.2 – qualquer área ou ambiente não projetado para ocupação humana contínua, que possua meios limitados de entrada e saída, cuja ventilação existente é insuficiente para remover contaminantes ou onde possa existir a deficiência ou enriquecimento de oxigênio.

Exemplos de espaços confinados:

Onde são encontrados Espaços Confinados?

• Indústria em geral
• Serviços de telefonia, gás, eletricidade, água e esgoto.
• Construção Civil
• Beneficiamento de minérios
• Siderúrgicas e Metalúrgicas
• Agricultura e Agroindústria
Que tipos de atividades são realizadas em Espaços Confinados?
• Manutenção, reparos, limpeza ou inspeção de equipamentos ou reservatórios.
• Obras da construção civil e naval;
• Operações de salvamento e resgate;
Capacitação obrigatória
De acordo com a norma regulamentadora 33, a capacitação deve ser realizada anualmente e devem ser ministradas por instrutores com proficiência no assunto comprovada, a carga horária pode variar de acordo com a atuação do trabalhador, vejamos:
• Trabalhadores Autorizados e Vigias – mínimo 16h;
• Supervisores de Entrada em Espaços Confinados – mínimo 40h.
Funcionamento dos equipamentos utilizados
Os empregadores devem providenciar os seguintes equipamentos, sem custo aos trabalhadores, funcionando adequadamente e assegurando a utilização correta:
• Equipamento de sondagem inicial e monitoração contínua da atmosfera, calibrado e testado antes do uso, aprovado por órgãos credenciados da INMETRO.
• Equipamento de ventilação mecânica para obter condições de entrada aceitáveis, através de insuflamento e/ou exaustão de ar.
• Equipamentos de comunicação, intrinsecamente seguro aprovado por órgãos credenciados pela INMETRO.
• Equipamentos de proteção individual e movimentadores de pessoas intrinsecamente seguros em áreas classificadas.
• Equipamento para atendimento pré-hospitalar
• Equipamentos de iluminação aprovado por órgãos credenciados pelo INMETRO.

Procedimentos e Utilização da Permissão de Entrada e Trabalho (PET)

Nas atividades com envolvimento de espaços confinados, é obrigatório ter no mínimo duas pessoas acompanhando o processo, sendo um deles denominado vigia. Existem alguns procedimentos em relação a PET, vejamos alguns deles:
Desenvolver e implementar:
• Procedimentos para serviço de emergência especializados em primeiros socorros para o resgate dos trabalhadores. Procedimento para preparação, emissão, uso e cancelamento da PET;
• Procedimentos de coordenação de entrada que garantam a segurança de todos os trabalhadores,
independentemente de haver diversos grupos no local.
• Interromper as operações de entrada sempre que surgir um novo risco de comprometimento aos trabalhos.
A permissão de entrada será encerrada ou cancelada quando:
• As operações de entrada cobertas pela permissão tiveram sido completadas;
• Uma condição não prevista na Permissão de Entrada ocorre dentro ou nas proximidades do espaço confinado.
• Houver saída, pausa ou interrupção dos trabalhadores em espaços confinados.
Noções de resgate e primeiros socorros
Os seguintes requerimentos se aplicam aos empregadores que tenham trabalhadores que exercem atividades em espaços confinados para executar os serviços de resgate:
• O empregador ou representante legal deverá assegurar que cada membro do serviço de resgate tenha os devidos EPIS, equipamentos de proteção respiratória e de resgate, junto ao treinamento para utilização dos mesmos;
• Cada membro do serviço de resgate deverá ser treinado para desempenhar as tarefas de resgate;
• Os membros do serviço de resgate deverão receber o mesmo treinamento requerido para trabalhadores autorizados;
• Cada membro do serviço de resgate deverá realizar treinamentos de simulação de resgate a cada doze meses nos chamados espaços confinados representativos;
• Cada membro do serviço de resgate deverá ser treinamento em primeiros socorros básicos e em reanimação cardiopulmonar (RCP). Ao menos um membro da equipe deverá estar disponível e ter certificação atual em primeiros socorros e em RCP.
Fontes
1 – http://blog.inbep.com.br/tudo-trabalho-em-espacos-confinados-nr33/

Estamos aqui para lhe ajudar!

Visando em atender todos os nossos clientes para adequação com os melhores instrumentos, trouxemos ao mercado o melhor da instrumentação. Oferecemos para o mercado um KIT NR33 INSTRUTEMP
DETECTOR MULTIGASES COM BOMBA AUTOMÁTICA
O GasAlertMax XT II é uma forma inteligente, simples e econômica de obter conformidade. Os funcionários sentem-se seguros e os incidentes são reduzidos para que todos possam fazer mais. Isso significa economias obtidas com maior uma continuidade dos negócios e produtividade.
Operação simples, com a bomba SmartSample. O GasAlertMax XT II monitora, com segurança, até quatro gases perigosos e combina a operação simples de um único botão com uma bomba motorizada e robusta para amostragem remota e inteligente, ideal para espaços confinados. O GasAlertMax XT II é totalmente compatível com o sistema de calibração e teste automatizados do MicroDock II.
CINTURÃO TIPO PÁRA-QUEDISTA
Cinturão tipo pára-quedista constituído por fita de poliéster, com argola em D para conexão na região dorsal, pontos de ancoragem peitorais confeccionados em laço de fita e acolchoamento lombrar com anéis para trabalho de posicionamento. Possui fita sub-pélvica e fivelas de ajuste no peito e nas pernas.
A placa coletora de fitas que detém o anel “D” dorsal possui um indicador de queda que facilita o processo de inspeção do produto. O cinturão possui porta-talabartes do tipo argolas plásticas destacáveis para fixação dos ganchos do talabarte que não estão em uso.
*As argolas laterais na linha da cintura devem ser utilizadas exclusivamente para posicionamento ou restrição.
ITSCBAT8000 é o equipamento adequado para atender as mais diversas necessidades em aplicações de emergência e resgate, em áreas IPVS e não IPVS, em segmentos como indústria química, óleo e gás, mineração, tratamento de água e esgoto, farmacêuticas e indústria nuclear.
– Respirador facial Twenty/ 20 Plus em silicone com lente em policarbonato apresenta amplo campo de visão, livre de distorções;
– Arreio retardante à chama com apoio lombar e fitas refletivas;
– Suporte em formato anatômico, aberto no centro para reduzir a transpiração e com três alças para carregar;
– Manômetro de peito com alarme sonoro acima de 90 dB;
– Redutor de pressão de 1° estágio com válvula de segurança;
– Válvula do cilindro com manômetro;
– Válvula de demanda Zenith com sistema de conexão Air Klic, engate rápido para conexão e remoção condicionada a apertar dois botões simultaneamente;
– Cilindro Luxfer revestido em fibra de carbono, 300 bar, 6,8L;
– Possui conexão para sistema carona (o sistema carona composto por máscara e válvula de demanda secundária deve ser adquirido em separado);
– Acondicionado em mala para transporte e armazenamento.
No Comments

Sorry, the comment form is closed at this time.

Fale Conosco no WhatsApp